O projeto Learning from the Extremes aborda as desigualdades de acesso à educação digital em áreas remotas e de baixa densidade populacional, com baixa conectividade e acesso limitado ou inexistente a recursos educativos digitais.

Learning from the Extremes teve início em fevereiro de 2022 e, em 24 meses, visa oferecer uma visão do que pode ser alcançado com investimento adequado em infraestruturas, ferramentas e conteúdos TIC, juntamente com um detalhado Roteiro de Inovação Escolar sobre como alcançar esta visão – um plano com metas e prioridades claras e um processo de gestão que garantirá feedback e reflexão contínuos. Learning from the Extremes adota uma abordagem multidimensional para pensar e planear o futuro da educação escolar rural melhorada pela tecnologia, compreendendo:

  • trabalho prospetivo envolvendo todos os intervenientes, com o objetivo de identificar o desenvolvimento provável, possível e desejado na educação escolar rural a médio prazo.
  • processo de consulta centrado no utilizador com as principais partes interessadas, para mapear as orientações fornecidas pela atividade prospetiva nas diferentes realidades das escolas rurais da Europa, avaliando o impacto de inúmeras soluções digitais inovadoras e identificando barreiras à sua adoção e implementação.

As escolas participantes irão beneficiar de plataformas de educação à distância, laboratórios e simulações on-line, ferramentas de conferência e colaboração via web de elevada performance. Terão acesso a apoio profissional para alcançar um ensino de excelência em sala de aula, que poderá ser partilhado na escola e na região. Os alunos terão espaços de aprendizagem modernos, conectados e construtivos, equipados para dar apoio a um ensino personalizado. Os professores terão o apoio e os recursos necessários para integrar as ferramentas digitais no ambiente de aprendizagem. As comunidades escolares terão acesso a ferramentas digitais e a conectividade para uma comunicação e colaboração eficazes.

O projeto irá envolver mais de 100 escolas rurais de 10 países europeus (Grécia, Portugal, Chipre, Croácia, Irlanda, Finlândia, Bulgária, Roménia, Itália, Espanha).

Vai abrir um concurso, em maio de 2022, para que as escolas apresentem as suas propostas e possam obter apoio. O financiamento dos projetos selecionados será de 10 000 a 20 000 EUROS e estes terão uma duração até 12 meses.

Learning from the Extremes é co-financiado pelo programa PPPA da Comissão Europeia com o acordo de subvenção No.LC-01760255/10105266 LfE.

Mais informação sobre o projeto no site: https://learningfromtheextremes.eu/