Geologia Planetária – Introdução (S. Pedro do Estoril: Jan-Maio 2016)

Acção acreditada pelo CCPFC

Acção de formação para professores

Créditos: NASA/JPL
Uma montagem com os planetas e outros corpos do Sistema Solar. Créditos: NASA/JPL
  O curso vai decorrer na Centro de Interpretação Ambiental da Pedra do Sal, S. Pedro do Estoril, ao longo dos meses de janeiro a maio de 2016. Calendário:
  • sábado, 23 de janeiro 2016 das 10h – 14h
  • sábado, 13 de fevereiro 2016  das 9,30h – 14h
  • sábado, 19 de março 2016  das 10h – 14h
  • sábado, 16 de abril 2016  das 10h – 14h
  • sábado,14 de maio 2016  das 9,30h – 14h
  • sábado, 28 de maio 2016  das 10h – 14h
Registo nº: CCPFC/ACC-84280/15 Validade: 05-10-2018 Modalidade: Curso de formação Nº total de horas: 30 Créditos 1,2 Destinado a: Professores do Grupo 230 do 2º Ciclo do Ensino Básico e do Grupo 520 dos Ensinos Básico (3º Ciclo) e Secundário Propina de participação: 50 EUR (este preço é especial por estarmos a oferecer o curso no âmbito do projecto INSPIRING SCIENCE EDUCATION) Entidade Formadora: NUCLIO-Núcleo Interactivo de Astronomia (CCPFC/ENT-AP-0342/13 – válido até 24/01/2016) Informações: geral@nuclio.pt

Objectivos a atingir

Com este curso pretende-se que os professores não só aprofundem e atualizem conceitos e conhecimentos relacionados com o estudo do nosso planeta, tendo em conta as matérias curriculares dos programas escolares, mas que também aprendam a utilizar recursos práticos recorrendo a novas metodologias de ensino. Como objetivos gerais do curso, temos:
  •  introduzir os professores a metodologias de ensino inquiridor (“Inquiry Based Learning”);
  •  valorizar o ensino através de recursos práticos, que podem ou não exigir o emprego das novas tecnologias;
  •  dar a conhecer plataformas de e-Learning e comunidades de professores, mostrando as melhores práticas europeias do seu uso.
No final desta formação os professores deverão:
  1.  conhecer mais profundamente a história da exploração geológica do Sistema Solar;
  2.  conhecer a forma como o conhecimento do nosso planeta evoluiu, graças ao desenvolvimento de novas tecnologias que permitiram coligir dados sobre regiões que durante muito tempo estiveram fora do alcance da curiosidade dos cientistas;
  3.  saber integrar e participar em comunidades online de professores;
  4.  compreender a metodologia inquiridora “Inquiry Based Education”;
  5.  testar o uso de cenários inquiridores já existentes em plataformas online;
  6.  criar o seu próprio cenário de aprendizagem ou adaptar um já existente, numa plataforma online.

REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A ação de formação é objeto de avaliação qualitativa e quantitativa. A escala de avaliação quantitativa é de 1 a 10 valores, sendo a avaliação considerada positiva se for igual ou superior a 5 valores. A escala de avaliação qualitativa relaciona-se com a escala de avaliação quantitativa da seguinte forma: Excelente – de 9 a 10 valores; Muito Bom – de 8 a 8,9 valores; Bom – de 6,5 a 7,9 valores; Regular – de 5 a 6,4 valores; Insuficiente – de 1 a 4,9 valores. A avaliação dos formandos será feita tendo em conta a assiduidade do formando, a realização de um trabalho e a elaboração de um relatório final. Assiduidade e pontualidade (30%): a um número de faltas igual ou inferior a 3 horas é atribuída a classificação de 10 valores; a um número de faltas igual a 4 horas é atribuída a classificação de 9 valores; a um número de faltas igual a 5 horas é atribuída a classificação de 8 valores; a um número de faltas igual a 6 horas é atribuída a classificação de 7 valores; a um número de faltas igual a 7 horas é atribuída a classificação de 6 valores; a um número de faltas igual a 8 horas é atribuída a classificação de 5 valores; um número de faltas superior a 8 horas (um terço da duração do curso), determina automaticamente a não aprovação do formando não havendo lugar nem à atribuição de créditos nem à respetiva certificação. Realização de um trabalho (50%): criação de uma atividade de sala de aula ou clube de ciências que siga uma metodologia inquiridora, que utilize um dos recursos apresentados no curso, e que seja implementada numa plataforma online. O planeamento deste trabalho será discutido e iniciado nas sessões presenciais, devendo o formando finalizar o trabalho autonomamente e entregá-lo até trinta dias após a última sessão, juntamente com o relatório final. Este trabalho será avaliado quantitativamente de 1 a 10 valores tendo em conta a adequação aos destinatários, a utilização dos recursos apresentados no curso, a implementação segundo a metodologia inquiridora, o rigor científico e a criatividade. Elaboração de um relatório final (20%): inclui uma descrição do trabalho produzido e uma análise reflexiva da funcionalidade do mesmo em sala de aula. A classificação final é a média ponderada da avaliação da assiduidade, 30%, da avaliação do trabalho, 50%, e da avaliação do relatório final (20%).

INSCRIÇÃO, PAGAMENTO E QUESTÕES BUROCRÁTICAS

Inscrições A inscrição é efetuada exclusivamente online preenchendo este formulário. Pagamento Após a inscrição receberá um e-mail com as indicações sobre o pagamento do curso. Após ter efetuado o pagamento deverá enviar-nos o comprovativo do mesmo e nessa altura receberá um e-mail de confirmação da inscrição. Questões burocráticas Número mínimo de formandos: 10 Número máximo de formandos: 20 Uma semana antes da data prevista para o inicio do curso será tomada a decisão sobre a realização do mesmo em função da existência, ou não, do número mínimo de inscritos. Se o curso não se realizar os inscritos terão direito à devolução dos valores que tenham pago. A desistência da participação que nos seja comunicada até 1 semana antes do inicio do curso terá direito à devolução dos valores pagos. Desistências que ocorram a menos de 1 semana do inicio do curso não terão direito a qualquer devolução.

Conteúdos da acção:

(2 h) Comunidades online de professores e plataformas de e-learning. (2 h) Metodologia inquiridora – ‘Inquiry Based Learning’. Teoria e exemplos. (17 h) Sessões teórico-práticas:
  •  Palestras sobre a exploração do Sistema Solar:
    • Missões automáticas: passadas, presentes e futuras
    • Recolha de dados: câmaras e outros instrumentos
  • Palestras sobre a geologia extra-terrestre:
    • Paisagens actuais e idades das superfícies
    • Estruturas internas dos planetas e consequências para a evolução geológica
    •  Processos geológicos: os comuns e os exóticos
  •  Debates sobre os temas, fortemente apoiados na consulta de informação sobre as missões correntes e passadas a diversos planetas e satélites do Sistema Solar;
  •  Exploração de recursos disponíveis na internet e da sua utilidade em sala de aula;
  •  Actividades práticas sobre imagens de outros planetas;
  •  Simulações digitais e analógicas de impactos.
(3 h) Criação de um cenário de aprendizagem (trabalho de avaliação) – discussão das ideias e utilização de plataformas online para o efeito. (1 h) Sessão de discussão e reflexão sobre as metodologias de ensino e a utilização de tecnologias na sala de aula. (5 h) Trabalho autónomo dedicado ao trabalho de avaliação.